Avisos Paroquiais

Nossa Paróquia

DSC00350Desde 1886 as famílias de Campo Limpo Paulista se agrupavam para o culto religioso na capela Nossa Senhora do Rosário e São Benedito.
 
De início a comunidade pertenceu à Paróquia Nossa Senhora da Conceição, de Vila Arens, Jundiaí, confiada aos padres Salvatorianos. No dia 27 de novembro de 1955, recebeu em doação um terreno, na Vila Thomazina, local onde hoje está a Igreja Matriz.
 
O projeto de construção da atual igreja é da autoria do Pe. Damião Prenke, Salvatoriano, que, juntamente com os padres Wilfrido e Policarpo, iniciou a atual construção. A paróquia foi instalada canonicamente no dia 8 de julho de 1962, ainda pertencendo a Arquidiocese de São Paulo e Dom Paulo Rolim Loureiro, Bispo da Capital paulista deu posse ao primeiro pároco Pe. Daniel H. Jansen.
 
No dia 6 de janeiro de 1967 foi criada a Diocese de Jundiaí e Dom Gabriel Paulino Bueno Couto nomeado seu primeiro Bispo.
 
Os padres Franciscanos e Salvatorianos deram marcante assistência religiosa à Campo Limpo Paulista.
 
Os Salvatorianos permaneceram à frente da Paróquia até o ano de 2008, quando no dia 3 de fevereiro, foi entregue à diocese. Durante o paroquiato do Pe. Arlindo Binotto, SDS, que durou mais de vinte anos, comunidades da Paróquia Nossa Senhora do Rosário tornaram-se paróquias: São Francisco de Assis, Jardim Marchetti, em 1992 e Santo Antônio, Botujuru em 2003. Em 2007, durante o paroquiato do último padre salvatoriano, Pe. Paulo José Floriani, foi criada a paróquia S. Luzia.
 
Os padres Salvatorianos, durante anos, acumularam recursos da  Matriz para uma grande reforma projetada pelas Irmãs Pias Discípulas. As obras iniciaram em março de 2008, no paroquiato do Pe. Venilton Calheiros.
 
Todo o interior da igreja foi reformado, salas, sacristia, secretaria. Um grande painel no presbitério foi pintado pela Irmã Laide Sonda. O piso foi todo revestido de granito.
Desde 1886 as famílias de Campo Limpo Paulista se agrupavam para o culto religioso na capela Nossa Senhora do Rosário e São Benedito.
 
De início a comunidade pertenceu à Paróquia Nossa Senhora da Conceição, de Vila Arens, Jundiaí, confiada aos padres Salvatorianos. No dia 27 de novembro de 1955, recebeu em doação um terreno, na Vila Thomazina, local onde hoje está a Igreja Matriz.
 
O projeto de construção da atual igreja é da autoria do Pe. Damião Prenke, Salvatoriano, que, juntamente com os padres Wilfrido e Policarpo, iniciou a atual construção. A paróquia foi instalada canonicamente no dia 8 de julho de 1962, ainda pertencendo a Arquidiocese de São Paulo e Dom Paulo Rolim Loureiro, Bispo da Capital paulista deu posse ao primeiro pároco Pe. Daniel H. Jansen.
 
No dia 6 de janeiro de 1967 foi criada a Diocese de Jundiaí e Dom Gabriel Paulino Bueno Couto nomeado seu primeiro Bispo.
 
Os padres Franciscanos e Salvatorianos deram marcante assistência religiosa à Campo Limpo Paulista.
 
Os Salvatorianos permaneceram à frente da Paróquia até o ano de 2008, quando no dia 3 de fevereiro, foi entregue à diocese. Durante o paroquiato do Pe. Arlindo Binotto, SDS, que durou mais de vinte anos, comunidades da Paróquia Nossa Senhora do Rosário tornaram-se paróquias: São Francisco de Assis, Jardim Marchetti, em 1992 e Santo Antônio, Botujuru em 2003. Em 2007, durante o paroquiato do último padre salvatoriano, Pe. Paulo José Floriani, foi criada a paróquia S. Luzia.
 
Os padres Salvatorianos, durante anos, acumularam recursos da  Matriz para uma grande reforma projetada pelas Irmãs Pias Discípulas. As obras iniciaram em março de 2008, no paroquiato do Pe. Venilton Calheiros.
 
Todo o interior da igreja foi reformado, salas, sacristia, secretaria. Um grande painel no presbitério foi pintado pela Irmã Laide Sonda. O piso foi todo revestido de granito.
 
NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO
 
O mês de outubro é dedicado às missões. Neste mês, no dia 7, também celebramos a padroeira da paróquia Nossa Senhora do Rosário.
Sabe-se que alguns grupos de monges rezavam diariamente os 150 Salmos da Bíblia. Mas outros, não sabiam ler, então, passaram a rezar 150 orações que invocavam Nossa Senhora. As 150 orações formam como que uma coroa de rosas ou Rosário. Divididas em três partes formam o que chamamos de Terço (50 orações).Conta-se que por volta do ano 1200, Nossa Senhora teria aparecido a São Domingos de Gusmão, segurando o Menino Jesus no colo, oferecendo-lhe o Rosário e pedindo-lhe que divulgasse o Rosário.
Antes da época de São Domingos, não havia ainda a oração da Ave Maria como conhecemos hoje. Foi nesta época que uniram a saudação do anjo Gabriel (“Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco”) à saudação da prima Isabel (“Bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre”). Nasceu assim a primeira parte da oração. Somente perto do ano de 1500 que surgiu a segunda parte (“Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte”).
Foi na Batalha de Lepanto que surgiu a Festa de Nossa Senhora do Rosário. Os turcos estavam para invadir a Europa. Então o Papa Pio V convocou os exércitos das nações católicas e estabeleceu que o Santo Rosário fosse rezado por todos os cristãos. No dia 7 de Outubro de 1571 os europeus saíram vitoriosos. Hoje ainda, no dia 7 de Outubro, se celebra essa festa, com o nome de Nossa Senhora do Rosário.
 
Scroll To Top